(a primeira pessoa do singular se faz plural; quer se desintegrar e se fundir ao vasto mundo múltiplo. o sítio, o sítio viaja e vai ali se reinventar) >> azuis, um projeto que iniciei em 2013, de início é sobre identidade, sobre existir para além das bordas de instituições e representatividades, existir além-números, para alémRead more »

o rg do seu primeiro filho, registro infame da noosfera. números de série, registros, pegadas, rastreamento. a indistinção. nas ruas, todos os dias. desenhos feitos em marca d’água, aquarela-água, azuis. são dez dedos nas mãos, que deixam suas digitais sobre a folha de papel. cada folha é marcada por um dedo, em ordem – comoRead more »

em locais públicos onde há grande circulação de pessoas em dias de semana, colocamos uma lona (de tecido) no chão sobre uma “lona” preta. tinta azul solúvel em água é colocada sobre uma bandeja com espuma, de modo que funcione de carimbo. transeuntes são convidados a molhar sutilmente a sola dos sapatos na tinta eRead more »

de achar que a poesia já está armada, as preces todas colocadas, e o balão azul explode do outro lado da rua, assim, de multidão.

<em>e toda a vontade de potência dessas matilhas, subjugadas a sérios consensos perante a maioria</em> <a href=”http://selo.azuis.net/wp-content/uploads/2013/07/inhotim-mira-a-classe-c.jpg”><img class=”alignnone size-medium wp-image-120″ alt=”inhotim mira a classe c” src=”http://selo.azuis.net/wp-content/uploads/2013/07/inhotim-mira-a-classe-c.jpg” width=”600″ /></a> ¶ Poderíamos pôr abaixo todos os mistérios, celeumas tristes e demais internos. Rodo de lugar não tem nome, não tem coisa, é pura função. Das 8 daRead more »